Tecnologia

LG deixará de fabricar celulares, saiba mais

Karen de Souza Venancio
Escrito por Karen de Souza Venancio em 7 de abril de 2021
LG deixará de fabricar celulares, saiba mais

A LG informou, na última segunda-feira (5), em comunicado à imprensa, que encerrará a produção de celulares a partir de julho em todo o mundo. A companhia sul-coreana afirmou que passará a se concentrar no desenvolvimento de dispositivos para casa, inteligência artificial, robótica e afins.

No comunicado, a marca disse que vai oferecer atualizações e suporte aos clientes por um período que varia de acordo com a região. “A LG trabalhará em colaboração com fornecedores e parceiros de negócios durante o encerramento do negócio de telefonia móvel”, explicaram.

No Brasil, a medida deve impactar a fábrica em Taubaté, no interior de São Paulo, a única companhia no país voltada para a produção de smartphones. A unidade, que também produz monitores, tem cerca de 1 mil funcionários. Desse total, 400 são do setor de celulares. A fabricação de monitores não deve ser afetada.

LG tem prejuízo com a divisão mobile

O anúncio da empresa surge após 5 anos sem registrar resultados positivos com celulares. Conforme um levantamento feito pelo Tecnoblog, a LG acumulou cerca de US $3,44 bilhões de prejuízos entre janeiro de 2015 e setembro de 2020. E, embora tenha uma posição relevante no Brasil e nos EUA, a companhia enfrentava dificuldades em competir com sua rival Samsung e com a ascensão de chinesas como Huawei, Xiaomi, Oppo e Vivo. 

Já há alguns meses a LG procurava uma solução para o setor de celular, como terceirizar a produção em conjunto com outras companhias e até mesmo vender a divisão. No entanto, não houve acordo com potenciais investidores.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem Somos

“Nosso foco é informar com senso crítico tudo o que existe de mais importante na área da segurança, saúde, emprego e do ir e vir do cidadão brasileiro.”