O crescimento do podcast no Brasil

O crescimento do podcast no Brasil começou em 2018 quando o programa de áudio online recebeu o título de “novo rádio”. Assim sendo, o podcast vem ganhando espaço nas plataformas de streaming. Em uma pesquisa feita pela Associação Brasileira de Podcasters (ABPod) no ano passado, 55,4% dos ouvintes desses programas estão no Sudeste, sendo 36,6% apenas de São Paulo, seguido por Rio de Janeiro com 10,8% e Minas Gerais com 8% de ouvintes.

Em 2004, na era do iPod, o jornalista britânico Ben Hammersley percebeu que o tocador de músicas da Apple estava facilitando a emergência de programas de rádio amadores online. Assim, ele sugeriu alguns nomes para o fenômeno, como audioblogging, guerillamediapodcasting. Quinze anos depois, o termo podcast ganhou espaço no mundo.

O crescimento do podcast fez com que empresas, como Spotify, pagasse um valor estimado em US$ 230 milhões pela Gimlet, empresa especializada em podcasts. Segundo o próprio Spotify, de abril de 2017 a abril de 2018, o aumento no número médio de ouvintes no mundo inteiro de podcast diários foi de 330%.

Entre os ouvintes, 25% tende a consumir mais de uma hora de programas em áudio por dia. E graças a isto, a mídia tem ganhado a atenção de empresas de publicidade, que investem em novas formas de anunciar dentro do serviço.

De acordo com um levantamento da PwC, os podcasts devem movimentar uma receita publicitária de US$ 1 bilhão em 2019 globalmente. O valor subirá 21,3% até 2023.

Outra plataforma on-demand de áudio, Deezer, reporta um aumento de 40% no consumo de podcasts no último ano entre os usuários brasileiros. Inclusive, um estudo realizado pela empresa com dados dos serviços de streaming, como Apple iTunes e Google Podcasts, mostraram que o consumo nas plataformas cresceu 177% nos últimos 12 meses.

Crescimento do podcast no Brasil

Segundo o Bruno Vieira, diretor geral da Deezer no Brasil a penetração dos podcasts no Brasil demorou a acontecer porque, inicialmente, esse tipo de mídia era consumida em iPods e iPhones, itens de luxo no país. Entretanto, com a democratização do acesso a smartphones, a melhora da qualidade de conexão na rede celular e o surgimento de plataformas de streaming, que agregam no mesmo lugar conteúdo tanto de grandes veículos quanto de produtores independentes, o cenário mudou.

  • PODCAST NO BRASIL E NO MUNDO

A princípio, o público brasileiro, descobriu o podcast para lidar com as questões da vida urbana. Em 2018, 79% dos ouvintes de podcast no Brasil fizerem o consumo durante trajetos de locomoção, e 68% durante a realização de tarefas domésticas. Isto, segundo pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Podcasters (ABPod) em parceria com a rádio CBN.

No Brasil, o tipo de podcast mais comum é o bate-papo, sendo um grupo de amigos ou debatedores conversando em torno de algum tema comum, de política e futebol a games e cultura pop.

Já a jornalista americana Sarah Koenig, trouxe um novo estilo de podcast lançando o programa investigativo “Serial”. Inclusive, por apresentar técnicas narrativas que remetem à radionovela, o podcast virou o mais popular no mundo.

Aqui no Brasil, surgiu iniciativas semelhantes, como o “Projeto humanos“. O podcaster Ivan Mizanzuk narra a história do crime que ficou conhecido no país como “Caso Evandro”. Com o sucesso, a HarperCollins prepara uma adaptação do podcast para livro, com previsão de lançamento para 2020.

Tanto em “Serial” quanto no “Caso Evandro”, o locutor explica como conduziu sua investigação e expõe suas dúvidas e impressões conforme colhe depoimentos dos envolvidos no crime, o que gera uma empatia maior com o ouvinte.

Complementação com outros conteúdos midiáticos

Os podcasts também têm sido usados para complementar a experiência do público com outros conteúdos. Na TV Globo, a emissora disponibiliza podcasts com resumos de novelas, humorísticos e com assuntos que vão de saúde a cidadania.

Além disso, na última segunda-feira (21), foi o Dia do Podcast no Brasil. Com isso, uma pesquisa realizada pela Deezer revelou que os programas de áudio sob demanda cresceram 67% no país durante este ano. A pesquisa também apontou que a adesão aos podcasts no Brasil tem sido maior do que em países, como França e Alemanha.


Deixe uma resposta