Tecnologia

Reconhecimento facial com máscara ganha relevância

Nariene da Silva Xavier
Escrito por Nariene da Silva Xavier em 25 de setembro de 2020
Reconhecimento facial com máscara ganha relevância

O reconhecimento facial já é uma realidade para muitos brasileiros. Presente em câmeras e celulares, esta tecnologia possibilita disparar uma fotografia, aplicar um filtro e desbloquear aparelhos. Também faz parte da rotina funcional de comércios e empresas.

A tecnologia empregada no reconhecimento facial baseia-se na premissa de que cada pessoa tem um padrão característico facial único e identificável através de sistemas de análise profunda de imagem. A mesma, busca dados como distância entre os olhos, o comprimento do nariz, o formato da boca, bochechas e queixo. O sistema mapeia a face que será reconhecida, sempre que o usuário fizer o escaneamento, independente da posição que estiver. O uso de máscara impede que esse reconhecimento seja feito.

O Face ID da Apple, por exemplo, que utiliza reconhecimento facial para os usuários desbloquearem o iPhone, lançou recentemente uma atualização de sistema. Ela, basicamente, consegue detectar quando a pessoa está utilizando máscara. A atualização reconhece de forma rápida que a boca e o nariz estão cobertos e solicita que o usuário insira a senha em vez de fazê-lo retirar a proteção facial.

Os desenvolvedores dizem que os softwares de reconhecimento de máscara, em teoria, não ferem a privacidade porque os programas não identificam as pessoas de fato. O software é treinado de acordo com dois conjuntos de imagens: um que ensina ao algoritmo a reconhecer um rosto (“detecção facial”) e outro que define como reconhecer um rosto com máscara (“reconhecimento de máscara”). O algoritmo de aprendizado de máquina não identifica o rosto de forma que consiga vinculá-lo a uma pessoa específica, porque não utiliza nenhum tipo de treinamento.

As empresas que desenvolveram softwares de reconhecimento de máscara afirmam que, em última instância, desejam que essa tecnologia seja utilizada amplamente para ajudar na definição de políticas ou aprimoramento de campanhas de conscientização sobre o uso de máscara.

Se pudermos calcular o número de pessoas que estão cumprindo com a imposição do uso de máscara, será possível criar políticas e monitorar se uma nova campanha de incentivo ao uso de máscara é necessária ou não”, explica Alan Descoins, diretor de tecnologia da Tryolabs, empresa com sede em Montevidéu, Uruguai, que desenvolveu o software de reconhecimento de máscaras, para o site National Geographic Brasil. “Também poderá ser aplicado caso as pessoas fiquem entediadas com a pandemia de covid-19 e parem de usar máscara, sendo necessário fazer mais publicidade para alertá-las”, completou.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem Somos

“Nosso foco é informar com senso crítico tudo o que existe de mais importante na área da segurança, saúde, emprego e do ir e vir do cidadão brasileiro.”